Noel Rosa e a cerveja

Noel Rosa é um cara que dedicou sua vida à noite. Boêmio por natureza, viveu e bebeu suas mais de duzentas composições. Desde seus 18 anos de idade, dormia durante o dia e trabalhava durante a noite e as madrugadas nos botecos. Seu expediente durava até às 6h da matina, no escritório de seu Vicente, um português apaixonado por samba, onde atendia telefone, recebia amigos e compunha suas melodias.

A tuberculose foi uma das companheiras de Noel Rosa. Ele espara baixar sua febre para voltar aos botecos e encher a cara de cerveja. Fumava como um condenado e bebia Cascatinha bem gelada – sua cerveja predileta – a bons e fartos goles.

Certa vez, um amigo o questionou, meio espantado ao vê-lo doente enchendo a cara de cerveja. Noel Rosa respondeu: “A cerveja gelada não me pode fazer mal, nem trazer minha tosse e minha febre de volta. Muito pelo contrário. O gelo, como sei que você também sabe, paralisa os micróbios. Congelados, os bichinhos sossegam. Como você vê, cerveja gelada é um santo remédio.”

Outro amigo, mais indignado, não engoliu a desculpa e decidiu ajudar a cavar a cova de Noel: “Está certo você. Garçom, me traz outra cerveja, mas quente!”

Tempos depois, bem doente, Noel foi flagrado tomando cerveja com conhaque. Como nunca se alimentou direito, arrumou mais uma desculpa, alegando que estava se alimentando, pois a cerveja contém lúpulo e cevada, ingredientes calóricos e, segundo ele, valiam por uma refeição. “Tá, Noel, mas por que misturar conhaque?” – “Porque não se deve beber de estômago vazio…”

E foi nessa vida boêmia que encerrou sua linha do tempo aos 26 anos, sempre com muito samba e cerveja.

Fonte: “Hic! Stórias. Os maiores porres da humanidade.”, de Ulisses Tavares.

Música: Com que roupa?

A rota da torta

Pie in the sky

Tortas, tortas, tortas. Um inglês e uma brasileira servindo boas e bem feitas tortas em Perdizes. Dias atrás, fomos conhecer o Pie in the sky, um cantinho especializado em tortas no melhor estilo inglês. Nessa visitinha, experimentamos o que na teoria poderia ser uma pura fonte de gases: torta de batata assada e feijão. Mas, a combinação sublimou a possibilidade grosseira e bizarra, se mostrando um prato cremoso, gostoso e bem servido. Essa beleza veio abraçada por um ambiente pequeno e aconchegante, cheio de bons comentários nas paredes e regado de vários tipos de cervejas. Pra acompanhar, pedidos uma porção de batatas tostadas com mostarda de dijon em grãos. Uma delícia. O sabor adstringente da mostarda fica perfeito com a batata.

Chegamos lá e já havia amigos comendo uma torta de cheescake e chocolate. Pedi a salgada pensando na doce. Promíscuo aos sabores, acabei exagerando no prato principal, o que me fez ter que pedir a tortinha doce pra levar. Depois de tontear de vinho em casa, mandei ver a dita cuja em poucas e fartas mordidas. Boa demais! O azedinho do cheesecake faz um contraponto incrível com o disco de chocolate afundado sobre a torta. Comi até lamber os dedos e o plástico da embalagem. Parece ridículo, mas em casa, você faria o mesmo que eu. Se quiser conferir, dê uma passada na rua Cayowaá, 1005a, Perdizes.

O site dos caras: www.pieinthesky.com.br/

Além de boa comida, eles ainda acertam no som ambiente. Vai lá!