Le Sexoflex: música, sexo e comida

Norteados pela indecência da extravagância, Le Sexoflex mistura três coisas viscerais com deboche e ironia: música, sexo e comida. Acabei de descobrir os caras e não pude deixar de compartilhar, pela bacanice, pelo mau gosto de certas escolhas, por algumas batidas que permitem chacoalhar o esqueleto pra valer, mas principalmente, pela mistura abusada e despuradorada como tratam o gozar sexual e gastronômico pelos olhos e ouvidos. De maneira bem direta, é um deleite sensorial sem a menor preocupação de agradar ou não. Eles decidiram causar e assim fizeram. Nenhum outro assunto poderia ser tão provocante como esse, porque comer, talvez seja a única coisa que considero tão ou mais íntima que sexo, pois tudo que se come vira parte de você. Mas, nem todo o sexo tem essa natureza…

Os clipes são um escândalo e só por isso já valem o compartilhamento. Já anexei dois aqui pra que vocês aproveitem e coloquem um toque de bom humor gls gourmet no seu dia (hoje o post é puro neologismo!). Tudo bem que o termo soa ridículo, mas é absolutamente apropriado. É sexualidade com sal, pimenta e especiarias selvagens (e isso não é uma narrativa literal dos ingredientes, mas pura analogia!). A aventura começa pelos nomes dos discos, como Invagine the Pussibilities e termina na cara de pau dos integrantes da banda em interpretações impagáveis. Vale a pena ver, mesmo que seja pra não ouvir mais depois.

Tofu Guru, gostei.

O velho ditado “quem procura, acha” vale muito. Eu vivo fuçando nas dobras do universo digital em busca de assuntos interessantes relacionados à comida. Basicamente, por diversão e sobrevivência. Nessas, acabei encontrando um blog gringo chamado The Tofu Guru, de comida vegana. É de uma garota chamada Brittany Roberts, que associa suas receitas com música. E música boa, vale ressaltar. Por mais que algumas receitas sejam previsíveis, outras surpreendem. E o blog, por si só, já é interessante pela proposta. Abaixo, um vídeo pra vocês terem uma ideia do que to falando. Divertido, descolado e amador, no melhor sentido da palavra.

Veganos ganharam balada temática

Ué, mas o tema desse blog não é comida? Sim, é comida. O Vegacy, um cantinho de comida vegana lá da Augusta, começou a fazer algumas festas pontuais, onde eles servem comida vegana. Estivemos lá, eu e minha marida, no sábado pra ver qual é dessa festa que prometia batidas de soul, funk e rap. Por instantes, sentimos medo da proposta, mas decidimos pagar pra ver, já que se trata de um lugar bem segmentado e com uma perspectiva que a gente se identifica.

Chegamos lá e o astral tava bem gostoso. Nada de grandes produções, mas música boa e gente bonita. Ao contrário do que achávamos, o som surpreendeu e rendeu boas chacoalhadas na carcaça. Alguns pecados relacionados à bebida impediram a noite de decolar da maneira como poderia. Colocaram dois caras straight edge (defende a total e perene abstinência em relação ao tabaco, álcool e drogas ilícitas) pra cuidar do bar. Isso resultou em cerveja quente, drinks mal preparados e alguma falta de cuidado com as bebidas. Eu pedi uma cerveja que abandonei logo depois dos primeiros goles. Mesmo a latinha tendo um lacre protetor, alguém deve ter deixado um pano sujo sobre elas, o que garantiu o cheiro horroroso na lata e na minha mão, logo depois que manipulei o rótulo. Um nojo. Fui correndo lavar a mão, pois nem bêbado dava pra tolerar aquele cheiro. Sem falar que eu havia comprado fichas de Heineken e, quando fui pegar, as Heineken (cerveja mais cara das opções) tinham acabado, o que implicou em pegar mais uma vez a fila do caixa pra trocar as fichas que eu havia comprado.

Em resumo, as noitadas no Vegacy podem dar certo. A música é boa (apesar do dj dar umas cagadas feias na transição entre as músicas), o pessoal é bonito e sensível (carregam em si a reflexão da não exploração animal) e a atmosfera do lugar é boa. Então, tem que acertar esses amadorismos com a bebida e afinar questões de serviço. De resto, é repetir a dose e tentar não errar nas mesmas coisas. Fica o incentivo e a torcida pra que dê certo.