Lugarzinho miserável

Se você se preocupa minimamente com o que consome e o quanto paga por isso, jamais pise no bar Monte Carlo, na Vila Olímpia.

Há dias atrás, fizemos um happy hour de comemoração do aniversário da Claudinha, amiga e ex cunhada. A ideia era sair em algum bar nos arredores, o que já representa um risco, pois o perfil da Vila Olímpia, no quesito entretenimento, não é dos melhores.

Andamos, andamos e depois de sermos barrados por preços absurdos, como uma casa de bolero (sim, você leu isso mesmo, bo-le-ro) que se atrevia cobrar R$ 25 só de entrada. Minha gente, queremos apenas beber algo. Era nítida a razão da casa ter apenas um casal no meio do vazio e uma hostess inflexível acompanhada de um segurança bem pouco simpático.

Depois de tanto andar, decidimos sentar no primeiro lugar que tivesse cadeiras livres na rua e um som minimamente aceitável em volume médio. Com essas premissas, chegamos na esquina da falácia. Pedimos cervejas e uma interessante proposta de brusqueta, de queijo brie e escarola. Na teoria, maravilha!

Depois de muita demora, eles tiveram a coragem de servir fatias de pães franceses com parmesão ralado de baixa qualidade e alguns verdinhos perdidos que mais pareciam talos de alface que sobraram do almoço ou do enfeite de alguma fritura que eles serviram em outra mesa.

Chamamos o garçom para reclamar e ele, numa postura falcatrua, tentou nos convencer de que a brusqueta era aquilo mesmo. Argumentamos que lá não havia queijo brie e que ele poderia checar com os próprios olhos que não havia escarola. Ele tentou dar uma de espertinho dizendo que a escarola tinha acabado e que o queijo parmesão havia se sobresaído na combinação com o brie. Pera lá! A receita descrita no cardápio não leva parmesão! Ele ficou totalmente sem graça e nós aproveitamos pra discutir um pouco sobre ética e respeito com ele. A situação ficou tão vergonhosa que nos ofereceram uma garrafa extra de Heineken, o que soou bastante miserável, visto que tomamos umas 20 garrafas e que o foco não era levar mais uma na faixa, mas sim, sermos respeitados com o mínimo de transparência e honestidade.

Começaram com o pé esquerdo com a ideia mal sucedida de tentar enganar o povo com uma farsa geográfica. França não é Itália. Pão francês na brusqueta não rola. Segundo, porque não tiveram a decência de avisar antecipadamente sobre a falta de ingredientes, esperando que essa “troca” passasse despercebida. Em alto e bom tom, digo que jamais voltarei lá.

Este é o site dos caras http://www.barmontecarlo.com.br/, o qual está fora do ar.

O Monte Carlo fica na esquina da Rua Jesuíno com a Atílio Inocenti. Jamais vá!

Pão de Açúcar fazendo feio

Dedinhos de chocolate podem ser irresistíveis em dias levemente frios. Você passa no mercado para pegar umas coisinhas e constrói a cena perfeita de um dia de preguiça. Sofá, cobertas, amiga querida, café e dedinhos de chocolate. Foi no Pão de Açúcar que encontramos os piores dedinhos de chocolate já fabricados pelo homem. Uma gororóba farelenta desprovida de sabor, digna de fazer os deuses vomitarem. Não é a primeira vez que decido comprar “delicinhas” produzidas por eles e tenho uma intragável surpresa. Outra vez, fui presenteado com uma beringela em conserva tão ácida, que dava a impressão de estar bebendo vinagre no bico da garrafa. Também teve a vez do abacate que comprei meio verde e que estragou antes de amadurecer. Dos caquis que jamais perderam o gosto amarrado de liga. Uma sucessão de pequenas tragédias que vão colocando a reputação do supermercado num carro sem freios na descida de um desfiladeiro.

Pela conveniência de ser o supermercado mais próximo da minha casa, peço que tenham mais atenção, cuidado pelos produtos oferecidos e respeito pelo dinheiro do consumidor. Mesmo me sentindo nobre nessas oportunidades de dar feedbacks e apoiar as reinvenções, também não tenho sangue de barata. Já estou na torcida pela revisão de alguns critérios.